Clichê: a gente volta anos depois pra um destino que conheceu antes da popularização do turismo, se desencanta com a urbanização recente e sai por aí com aquele discurso saudosista de quem (acha que) chegou primeiro. “Bons tempos eram aqueles que aqui não tinha nem luz elétrica…”.

DSC02255

Visual clássico do entardecer com Dois Irmãos ao fundo

 

 

Pois o meu retorno da vez foi para Fernando de Noronha, eleita pelo recém-extinto Guia 4 Rodas (R.I.P., saudoso companheiro de estrada!), por Deus e o mundo (Trip Advisor inclusive) como dona das praias mais belas do país.

 

DSC02024

Canhões dos 10 fortes do passado espalham-se pela ilha

 

É claro que eu poderia lamentar que agora a luz é 24 horas, que os preços inflacionaram (garrafa de água de 500ml a 5 reais é de lascar), que é um absurdo um santuário natural habitado por só 6.000 gatos pingados não ter coleta seletiva. Mas eu quero contar que gostei do que vi.

 

DSC02017

Baía dos Porcos: é ou não é uma maravilha da natureza?

 

ELA CONTINUA LINDA – Fernando de Noronha segue arrebatando corações. Das águas azuis-turquesa da Praia do Sancho aos tubarões, arraias (vejam essa diante de mim aí na foto) e tartarugas-marinhas gigantes que pude observar no mergulho noturno, nosso destino mais desejado continua causando arrepios diante de tamanha beleza.

 

16-06 h-21

Meu mergulho com arraias gigantes, corais de cores vibrantes e todo tipo de peixe

 

Passei 10 dias de junho por ali, a trabalho para uma publicação estrangeira. Tive a felicidade de estar bem acompanhado: viajei com a fotógrafa Andréa D’Amato, minha fiel companheira de tantas estradas mundo afora, e tendo como cicerone extra-oficial meu amigo José Tadeu de Oliveira, biólogo que trabalha para o ICM-Bio e acumula 5 anos radicado em Noronha. Hoje Tadeu é DJ nas horas vagas.

 

Praia do Sancho, considerada a mais bonita do Brasil

Praia do Sancho, considerada a mais bonita do Brasil

 

 

Foram dias intensos, estadas em quatro hotéis distintos, refeições em uns 20 lugares, todos os passeios que pude e entrevistados interessantes, como o inspirador Zé Maria e o jogador Hernanes, que abriu ali o restaurante Corveta.

Com direito a surpresas como rever a Tia Zete, que me hospedou em 1995; o Ju Medeiros, músico ex-doidão que virou dono de hotel; e o Dr. Milton, médico que eu conhecia do ambulatório da Editora Abril (onde trabalhei por 13 anos) e que largou a Pauliceia de concreto para adotar Noronha como lar.

Por isso resolvi fazer uma lista dos highlights da minha experiência. Confiram.

 

DSC02351

Lounge com música eletrônica no entardecer do Bar do Meio, na Praia do Meio

 

Sunset lounge no Bar do Meio – Não é porque o Tadeu é o DJ da balada, juro. É que o pôr-do-sol visto dos almofadões dessa praia linda de morrer, olhando os Morros Dois Irmãos se mostrando à esquerda, tomando um mojito e ouvindo boa música eletrônica, dá uma cara hype a Noronha. Imagino como deve ser legal na LoveNoronha, em setembro. Pirei também no por-do-sol do Fortinho do Boldró e do Mergulhão, no Porto.

 

DSC02243

Música ao vivo para o clássico por do sol no Fortinho do Boldró

 

Mergulho noturno – Eu fiz seis mergulhos com cilindro nesses 10 dias. Acompanhei o batismo da Andréa nas Águas Claras, fiz quatro mergulhos incríveis na Ressurreta, na Ilha do Meio e entre as cavernas na lindíssima Ilha das Cabras. Mas não houve beleza e adrenalina maiores que a descida que fiz, tendo Tadeu como dupla, para ver tubarões, arraias e tartarugas gigantes sob a luz da lanterna em meio ao misterioso breu da noite.

 

16-06 h-19

Uma bela âncora para se apoiar em meio à correnteza submarina

 

Trekkings do Capim-Açu e da trilha longa do Atalaia – Encarar os 10 quilômetros da caminhada mais casca-grossa da ilha, em apenas 4h30, foi puro prazer: especialmente tendo amantes do Capim-Açu como o João Paulo, da Noronha Adventure, e a Silvia, da Caminhos de Noronha (e grande guia da viagem toda). A do Atalaia também foi linda, linda…

 

DSC_0171

Trecho da trilha do Capim-Açu, a mais longa da ilha, com boa parte da caminhada acontecendo sobre pedras

 

Comilança de primeira linha – Minha matéria vai detalhar isso melhor, mas posso adiantar aqui que não esperava que Noronha já tivesse gastronomia do nível de: os frutos do mar gratinados do Varanda, a moqueca do Du Mar, o peixe na telha do Aqua Marina – restaurante do hotel Dolphin, o atum selado do Mergulhão, os churros e pescados do Cacimba Bistrô, a boa gastronomia regional que a coreana Rê prepara no Xica da Silva, a comida molecular da Teju-Açu, o arroz com camarão da Triboju, o chá da tarde da Pousada Beco de Noronha, o peixe na folha de bananeira da Solar dos Ventos, a comida com incrível vista da piscina de borda infinita emendando com o mar do Sueste na Pousada Maravilha e o badalado festival de frutos do mar do Zé Maria.

 

DSC01952

Chá da tarde da Beco de Noronha

 

 

A travessia de snorkeling do Porto à Praia do Cachorro – Essa também foi com o João Paulo: 2 horas de snorkeling seguindo tartarugas, tubarões e mil peixinhos, com direito a parada para explorar a caverna vizinha à misteriosa Caverna do Leão, que parece rugir como o felino selvagem. O trecho de snorkeling para chegar ao Morro São José também encanta.

 

DSC02407

Praia do Atalaia, onde dá para fazer trilha andando por 4 horas, quase tudo em pedras

 

Dormir na praia – O passeio de buggy pelas ilhas permite ver um pouco de cada praia, o tour de barco oferece outro ângulo igualmente lindo. Mas bom mesmo é escolher uma faixa de areia só e lá ficar largado por um tempo. Cheguei até a dormir na cadeira sob o guarda-sol da Cacimba do Padre.

 

DSC_0029

 

Andar entre as gameleiras gigantes – Não há árvores mais impressionantes em Noronha do que as gameleiras. Especialmente a série que mistura galhos com raízes na trilha do famoso Bar do Cachorro para o Bar do Meio. Não dá pra saber se aqueles tentáculos impressionantes começam de baixo pra cima ou de cima pra baixo.

 

DSC_0134

Caverna do Capim-Açu: onda entra fazendo som poderoso e estourando nas pedras internas

 

Entrar na Caverna do Capim-Açu – Ponto alto absoluto do trekking do Capim-Açu: estar na gruta onde dá pra ver, invadindo o buraco da parede oposta, uma onda de água azul celeste poderosa e linda de matar. O barulho mete medo, e o lugar ganha ares de templo natural sagrado.

 

DSC02155

Ilha secundária visitada pelo barco Trovão dos Mares

 

Flagrar os golfinhos-rotadores rodopiando no ar – A mais graciosa das espécies desse cetáceo carismático gosta de dar show para os turistas. Nas três vezes em que naveguei nas ilhas secundárias, urrei de prazer ao ver golfinhos chamando nossa atenção – e assim protegendo os filhotes. Deu pra vê-los sob o barco no passeio do Projeto Navi, que tem um chão de vidro que na verdade é uma lente de aumento sensacional.

 

Golfinho visto a partir do fundo feito de lente de aumento no barco do Projeto Navi

Golfinho visto a partir do fundo feito com lente de aumento no barco do Projeto Navi

 

Mergulhar como Aquaman brincando de planasub – Quem encara esse passeio criado pelo Leo, criador do Museu Tubarões, tem a rara experiência de mergulhar a até uns 5 metros mas com velocidade – tendo a prancha de apoio puxada pela embarcação. Baita adrenalina.

 

DSC_0256

 

Ver tartarugas-marinhas recém-nascidas seguindo em direção ao mar – Sonho realizado: pela primeira vez na vida, pude acompanhar, justo no Dia Internacional da Tartaruga Marinha, dezenas de filhotes desse animal fascinante correndo em direção ao mar. Dá vontade de chorar de tão belo.

 

DSC_0005

Praia do Leão

 

CÓDIGO DE ÉTICA SAME SAME:

Viajei a Fernando de Noronha com apoio da Administração da Ilha e da Freeway Viagens, de São Paulo, tanto para os passeios de buggy (Ilhatour da Atalaia/Luck), de barco (Trovão dos Mares), de Planasub e da Navi (embarcação com fundo transparente).

As operadoras de mergulho Águas Claras e Noronha Divers também ofereceram alguns dos mergulhos mencionados nesse post.

Todos os restaurantes citados foram visitados em regime de cortesia.

A hospedagem aconteceu, sem custo, nas pousadas Mar Aberto, Ecocharme Pousada do Marcílio, Triboju e Pousada Zé Maria.

Agradecimentos especiais a Manuela Fay, Fernanda Camargo, Silvia Morais, João Paulo Ferreira, José Tadeu de Oliveira e Victoria Zuniga.

Informações gerais: www.noronha.pe.gov.br

Vista da Pousada Maravilha (http://pousadamaravilha.com.br)

Vista da Pousada Maravilha (http://pousadamaravilha.com.br)

 

 
Publicado em:
Same Same


Data:
01.07.2015

Compartilhar
 

DISCLAIMER: Conteúdo protegido por leis de direito autoral. São proibidas quaisquer formas de reprodução, total ou parcial, do conteúdo disponível no website. Criado por Daniel Nunes Gonçalves e Danilo Braga. © Todos os direitos reservados.